vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Os Motores Magnéticos

A viabilização dos motores magnéticos é estimada como tendo ocorrido no início do milênio, quando os primeiros motores Perendev foram apresentados. Totalmente baseados em imãs permanentes, possibilitam transferir uma potência mecânica, sem depender de combustíveis ou de geradores, sequer de excitação (leia-se corrente) proveniente de fora do sistema. Um verdadeiro “ovo de Colombo”, produziu ao mesmo tempo um frenesi entre os não iniciados em Física ou em Eletricidade, aparentando um verdadeiro moto-contínuo. Já para os iniciados, que lidam frequentemente com os problemas de transformação e gestão de energia em suas diversas formas, apresentou-se como um paradoxo físico a ser explicado.

 

Princípio da conservação de energia

Este conceito é relativamente antigo, criado por Joule, proveniente da termodinâmica e estendido à mecânica como um todo: uma energia cinética só pode ser resultado da transformação de outra energia, seja elétrica, térmica ou potencial: uma vez feita a transformação, a energia cinética se transfere para o meio ambiente, na forma de energia térmica, geralmente via atrito, com o ar, com o solo, nos mancais, ou de freios (atrito entre disco e pastilhas, por exemplo) que se aquecem, transferindo esse calor posteriormente para o ar e para o solo. Caso se deseje, por exemplo, que um veículo prossiga em movimento, deve-se transferir energia constantemente (queima de combustível), caso contrário, cedo ou tarde o movimento irá cessar. Esta afirmativa é irreversível. Isto compreendido, pode se afirmar que um dispositivo de moto-contínuo não tem qualquer motivo para ser estável: na medida em que autorealimenta energia constantemente, de fato deveria acelerar indefinidamente, atingindo velocidades gigantescas, de fato tender à velocidade da luz. No entanto…

 

Sistema físico

…isto não acontece no motor magnético: por se tratar de um sistema real, o dispositivo tende inicialmente a permanecer em equilíbrio estático, depois assumir e manter a velocidade que lhe é fornecida externamente, e tender para uma velocidade máxima e ali se estabilizar. É a inércia do rotor que assegura a chegada ao próximo ponto de aceleração. Explica-se: o rotor é fixo sobre mancais, geralmente rolamentos. Componentes de grande perfeição técnica, os rolamentos conferem alta estabilidade mecânica a um rotor, além de absorver alta proporção de atrito. Mas não a totalidade: sem carga, é a força de atrito que determina finalmente o limite de equilíbrio dinâmico. Atrito é sinônimo de perdas, e se reverte em calor, que é uma das formas de entropia mais básicas: ressonando na faixa de infravermelho, átomos vão perdendo energia para o meio-ambiente. Portanto, significa que, em vazio, esse motor precisa receber energia para vencer o atrito.

Embora o processo se baseie principalmente em repulsão de pólos iguais, a atração entre pólos opostos pode eventualmente contribuir para o movimento. Além da assimetria de posições entre os imãs do estator e do rotor, o conjunto depende de três pares de rotores e estatores, de modo a assegurar o desbalanceamento que resulte permanente binário que proporcione rotação.

 

Energia potencial magnética

É a energia armazenada em imãs de alto desempenho, como os de Neodímio ou de Praseodímio, e é de fato induzida através de campo magnético com densidade de fluxo da ordem de 6 Tesla, resultando os imãs que parecem grudar em superfícies de Ferro, e se soltam destas após esforço inusitado.

Coerentemente com o afirmado acima, confiando que o motor magnético é viável, a energia convertida em cinética deve ter origem nos imãs e nas respectivas cargas magnéticas. Isto igualmente deixa explícito que a retirada de energia dos imãs deve se reverter em redução da energia potencial dos mesmos, ou seja, enfraquecimento do campo magnético correspondente.

 

Reorientação

A presença de um imã de porte semelhante em proximidade mútua por tempo prolongado pode afetar a energia de ambos. A aproximação de imã de porte semelhante em com a polaridade invertida tem o efeito cancelador da carga. Caso esse efeito se repita por intervalos curtos embora frequentes, pode acabar enfraquecendo a carga retida.

 

Desmagnetização

A desmagnetização de componentes imantados pode ser obtida de vários modos, um deles térmico, e outro baseado em exposição a campos magnéticos resultantes de tensões alternadas.

22 de junho de 2016
Voltar