vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Eletroimã de Sucata – Princípios e Implementação

Na natureza existem alguns metais que possuem propriedades de serem atraídos magneticamente ou na presença de um campo eletromagnético se imantam fortemente. Estes metais são denominados ferromagnéticos. O ferro, o níquel, o cobalto e suas ligas entram nesta categoria de metais ferromagnéticos. Outra propriedade bastante interessante que estes metais possuem é a capacidade de serem reutilizados ou reciclados. No caso, pelo processo de aquecimento, estes metais derretem e sua estrutura molecular retorna a seu estado original, podendo ser utilizados novamente na forma de chapas, tarugos ou outros formatos, e também, podem receber tratamentos especiais para melhorar suas características de acordo com a aplicação que serão destinados.

 

Assim sendo, estas duas propriedades em conjunto são extremamente importantes para a economia e para o meio ambiente, pois equipamentos ou materiais de metais que seriam descartados em depósitos/aterros sanitários para se decomporem demoradamente, podendo gerar problemas de poluição, podem ser reaproveitados retornando com as mesmas propriedades e importância de um minério que vira uma chapa metálica, por exemplo. Ferragens de alicerces de construções, portos, chassis de automóveis, grades, autopeças, eletrodoméstico e qualquer outro objeto feito com qualquer metal, devem ser reciclados e neste processo os eletroímãs são as melhores ferramentas de manipulação de sucata.

Basicamente, os eletroímãs utilizados em manipulação de sucatas são compostos por um núcleo de ferro e um solenoide (uma bobina), que ao ser percorrido por uma corrente elétrica, a movimentação dos elétrons no fio gera um potente campo magnético, transformando este conjunto em um poderoso imã. São interessantes no setor de reciclagem devido ao fato de “segurar” e “soltar” montes de sucata com facilidade, conforme a corrente elétrica é acionada ou interrompida. Em geral são fabricados em formato circular e com propriedades elétricas que os tornam mais resistentes e duráveis, tais como face de trabalho em aço inoxidável e estrutura de alta resistência (carcaça em aço carbono de alta permeabilidade magnética, estrutura soldada de alta robustez, bobinas com duplo isolamento Classe H, resina de enchimento de alta resistência elétrica e caixa de ligação em aço e vedação IP-55).

 

As implantações destes eletroímãs são basicamente feitas em guindastes, gruas, pórticos ou tratores, dependendo da necessidade ou da área em que serão utilizados. São extremamente duráveis e praticamente não exigem reparos ou atividades de manutenção complexas.

22 de agosto de 2017
Voltar