vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Grade Magnética

O desgaste por atrito é praticamente impossível de ser evitado sendo que, mesmo os melhores lubrificantes aplicados nas superfícies extremamente polidas e endurecidas, vão apresentar, mesmo que mínimo, os efeitos do atrito. Mesmo a pele humana, que é sensível, é capaz de gerar desgaste em materiais mais duros, como por exemplo, o pegado da porta da geladeira. Esse desgaste ocorre devido ao que a engenharia chama de uso. Todos os equipamentos são projetados para suportar determinado número de ciclos, ou para ter determinada vida útil.

Na indústria, os projetos possuem uma preocupação maior, pois a produção em escala industrial exige que os equipamentos possuam a capacidade de suportar um numero de ciclos extremamente maior que os equipamentos domésticos. E mesmo assim, o desgaste gerado pelo atrito ocorre e o material da superfície pode impregnar o produto que é fabricado na linha. Esta contaminação pode ser controlada através de filtros magnéticos, que dependendo do material produzido terá um projeto especifico.

No caso de pós, grãos e granulados, por exemplo, são aplicados em pontos estratégicos filtros do tipo grade magnética, configurados com ímãs de Neodímio, com elevada capacidade de remoção, não só de pequenas partículas de ferro, mas também objetos maiores, como parafusos, porcas e arruelas. A grade magnética pode ser construída com ímãs de neodímio com densidade de fluxo máxima na superfície de valores entre 1.500 Gauss a 13.500 Gauss, com fileira simples ou dupla, de acordo com o volume de produção e a necessidade de descontaminação.

A grade magnética oferece como vantagem a não dependência de energia elétrica e a baixa necessidade de manutenção, além da limpeza periódica do material acumulado nas barras. Dependendo da necessidade do processo, a grade pode ser construída com um sistema de limpeza automática, na forma de gaveta, com abas, moldura redonda e no modelo “P”. A composição do ímã pode variar, conforme a necessidade de densidade de fluxo máxima e temperatura de trabalho, sendo que para ímãs de Ferrite é de até 150°C, Neodímio-Ferro-Boro de até 80°C e ímãs de AlNiCo com capacidade de suportar temperaturas de até 350°C.

23 de julho de 2018
Voltar