vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Eletroímã industrial

O magnetismo é um fenômeno físico muito explorado por vários setores industriais, podendo este fenômeno ocorrer naturalmente, através de metais que possuem o campo magnético, que são os ímãs permanentes, tais como o neodímio ou a magnetita, ou através da corrente elétrica que passa em um fio configurado em forma de espira ou bobina, os eletroímãs. Tanto os ímãs permanentes quanto os eletroímãs industriais possuem vantagens que favorecem diferentes segmentos da indústria.

Os ímãs permanentes não precisam de fonte de energia elétrica para produzir o campo magnético, sendo assim o custo de operação dos equipamentos configurados com este tipo de magneto é quase nulo. Dependendo da composição do ímã permanente, como no caso dos ímãs de terras raras, a força magnética pode ser bastante elevada mesmo em estruturas pequenas, quando comparados com os ímãs de magnetita ou com o eletroímã. Por isso os ímãs de terras raras foram grandes contribuintes para a miniaturização de aparelhos eletrônicos, tais como notebooks, smartphones e alto falantes para fones de ouvido.

O eletroímã industrial oferece como vantagem a geração de campo magnético somente quando uma corrente elétrica passa pela bobina dele e, quando associado a dispositivos que controlam a intensidade da corrente elétrica, o eletroímã pode ter seu campo magnético variado. Estas características do eletroímã industrial possibilitam sua aplicação em ferramenta de carga/descarga e movimentação de objetos metálicos. Ademais, o eletroímã industrial é muito utilizado como sistema de segurança, quando instalado em linhas de produção, antes de dispositivos de trituração ou moagem, para a remoção de sucatas, sendo que, se acidentalmente presentes na matéria prima, podem danificar máquinas a jusante de produção.

No segmento de separação ou extração magnética, tanto o eletroímã industrial quanto os ímãs permanentes podem ser utilizados para efetuar estas tarefas, sendo a escolha entre um ou outro dependente das condições de uso do extrator e das características físicas dos materiais a serem separados.

17 de setembro de 2018
Voltar