vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Reciclagem de sucata

Embora o dicionário generalize o termo sucata como material genérico sujeito a reciclagem, a imagem que vem à mente é a de metais retorcidos, oxidados ou descascados, cujo reaproveitamento diminui a necessidade de mineração e colabora na despoluição do planeta.

 

Vantagens da sucata metálica

É comum a inclusão de sucata ferrosa durante a fabricação do aço, possibilitando reduzir a demanda de calor para a transformação, além de consumir menos água, e produzir menos gases poluentes durante o processo, com impacto favorável imediato, em custos de insumos (energia, combustíveis), arrefecimento e neutralização de efluentes. Vale o mesmo para o Alumínio, cuja reciclagem demanda apenas 5% da energia necessária para produzir o metal primário.

 

Ferrosos x Não-ferrosos

A industrialização, seja no ramo de construção, seja no de eletro-eletrônicos, seja no de comestíveis, entre outros, originou ciclos de uso e de obsolescência em períodos pouco ou muito prolongados. Assim, embalagens de conservas e bebestíveis têm um ciclo de obsolescência mensurável em semanas; as estruturas de eletro-eletrônicos podem durar vários anos; e as estruturas de construções podem durar muitas décadas. De modo sistemático, quando esses materiais viram sucata, são encaminhados para reciclagem acumulados e agrupados simplesmente como “metal”. Na remessa, se encontra desde latas de refrigerantes, até vergalhões de aço de construção, para não citar componentes de aço inóx, Cobre ou latão. Os componentes de Aço-Carbono são geralmente majoritárias, o que de imediato justifica o uso de processos magnéticos ou eletromagnéticos para uma separação primária.

 

Metais ferromagnéticos

Trata-se de materiais que, expostos a campos provenientes de imãs, permanentes ou eletricamente induzidos, reagem com polarização magnética que estabelece atração com a fonte geradora do campo. Os elementos que correspondem a estas características são o Ferro, o Níquel e o Cobalto, sem esquecer compostos e ligas que os incluam. Outros materiais mais raros, como o Neodímio (ou Neodidímio), igualmente podem ser encontrado através de aplicação de campos magnéticos.

 

Metais magneticamente amorfos

Ligas inoxidáveis possuem várias alternativas de formulação, mas invariavelmente não reagem a campos magnéticos: as ligas isentas de Ferro são magneticamente amorfas por natureza, mas o aço inoxidável férrico tem sua imantação afetada quando aquecido acima da temperatura de Curie, quando os campos magnéticos dos átomos assumem direcionamento aleatório; na sequência, a liga é sujeita a arrefecimento rápido, o que impede que os átomos voltem a se reorientar, gerando liga magneticamente amorfa.

Diversos materiais, como o Alumínio, o Cobre, a Prata, o latão e o bronze, são igualmente magneticamente amorfos, o que possibilita sua segregação das pilhas de sucata metálica.

Separador Magnético Suspenso semelhante ao separador magnético, este equipamento igualmente dispõe de esteira rolante, que permite direcionar sucata atraída ao ponto de acumulação, podendo ser uma caçamba. Chegada à região de segregação, a manta da esteira afasta os fragmentos atraídos da região do campo magnético, consumando a acumulação.

15 de agosto de 2016
Voltar