vendas@metalmag.com.br 11 5523-8400


Extrator de ferro – Como criar um sistema para separação de detritos

Extratores magnéticos são sistemas de remoção de impurezas ferromagnéticas quando metais são elementos contaminantes, ou remoção de metais desejados em um sistema onde as demais substâncias são os contaminantes. Na primeira situação, a indústria de açúcar e etanol faz muito uso desse sistema, para evitar que metais adentrem o sistema de moagem da cana de açúcar e danifique os equipamentos ou indústria de reciclagem de alumínio. Já o segundo exemplo de aplicação é mais comum em sites de reciclagem de metais, em que o foco são elementos ferromagnéticos.

Quando a necessidade de extrair detritos ferrosos se dá com elementos secos, o meio de extração se dá por meio de um conjunto de tambores, esteiras e sistema magnético. O sistema magnético pode ser constituído por um eletroímã ou por ímãs permanentes. Os dois tipos de sistema magnético são extremamente eficientes, mas o sistema com ímãs permanentes oferece a vantagem de não necessitar de energia elétrica para gerar o campo magnético. O sistema que trabalha por eletromagnetismo geralmente é utilizado em industrias que possuem geração de energia elétrica própria, como no caso da indústria de açúcar e etanol, que o consumo de energia elétrica não onera o processo.

Estes sistemas de extração de detritos ferrosos são extremamente vantajosos pelo fato de serem fáceis de instalar, pois não necessitam de grandes alterações na linha de produção existente, pois eles são suspensos e a matéria extraída é descartada lateralmente, de forma automática, dispensando parar o processo para fazer a limpeza do extrator. Os separadores constituídos por sistema de correias transportadoras são indicados para situações de elevada contaminação por elementos ferromagnéticos e o modelo manual para baixos índices de contaminantes. São muito usados em fundições, na indústria química, alimentícia, agricultura, cerâmicas, mineração, cimento, tratamento de lixo, entre outras.

Podem ser instalados em duas posições, longitudinalmente, para modelos automáticos, em que o separador descarrega o material ferroso na mesma direção do movimento da produção, sendo esta posição ideal quando há pedaços longos de ferro; e transversalmente, sendo esta posição mais fácil de aplicar, pois requer um mínimo de alteração do sistema de transporte já existente, devendo ter apenas o cuidado de afastar os roletes da correia que ficam debaixo do separador, bem como outros materiais como travessas, cantoneiras, etc., para que não haja interferência entre o campo magnético e as partes do transportador, o que poderia prejudicar a eficiência do equipamento.

22 de agosto de 2017
Voltar